JollyRoger 80´s para as Massas

JollyRoger 80´s para as Massas

sábado, 26 de abril de 2014

A fama súbita e a imbecilização das massas. Uma breve análise.




É curioso quando as pessoas reclamam (com toda razão!) do vazamento de fotos na internet, da falta de privacidade devido às câmeras de celulares ou quando, por exemplo, crucificaram (corretamente) a professora da PUC que fotografou sem permissão um sujeito no aeroporto, postou a foto publicamente no facebook e junto com seus amigos fez comentários irônicos o ridicularizando. 

Então, o que dizer das curtidas e compartilhamentos das fotos do segurança do metrô de São Paulo? Será que ele sabia que quando aceitou sorridente tirar a 1° foto ela seria publicada e o tornaria... uma subcelebridade? Será que a primeira imbecil (foram muitas) pediu permissão para publicar? E o que dizer das outras que compartilham e fazem os banais e clichês elogios para a foto?

Nesse caso, o galãzinho pode se dar bem no final devido à nossa cultura de culto ao corpo e uso do mesmo para se alcançar a fama. Quem cria e alimenta o mercado da fama é o público faminto e vazio. Ao que parece uma revista idiota feita para pessoas idiotas já fez um, quem diria, ensaio sensual com o mesmo. Independente do futuro artístico do rapaz o que se pretende chamar atenção é para a tão clara hipocrisia e falta de noção de todas as pessoas. 


Os homens de boa vontade são obrigados a ler incontáveis relatos contra a opressão dos padrões de beleza impostos pela sociedade, mas basta surgir a foto de um homem ou mulher bonitos (famosos ou não) para causar uma euforia demente. Vale ressaltar que o que é ou não bonito varia de pessoa pra pessoa.

E SE ele não estivesse gostando de ver sua foto pelos perfis de estranhos? E a família dele? Na minha opinião, quem compartilha a foto de um estranho, que não é uma pessoa pública, está tendo uma atitude semelhante às pessoas que expõem fotos íntimas dos outros na rede. Não vou me ater aqui nas fotos íntimas (de famosos, pseudo-famosos  e desconhecidos) que "vazam" na internet propositalmente (e diariamente) seja por puro fetiche exibicionista ou para alimentar o ego e busca pela fama. 


Não estou pretendendo defender o tal segurança e muito menos preocupado com o que será dele daqui pra frente. Se tivermos sorte será apenas o assunto da semana passada. Se tivermos azar o mesmo se tornará mais um famosinho que será usado na máquina de alienação midiática.


 O que se constatou mais uma vez com esse (já passado) episódio é como a fama fascina e imbeciliza as massas. Da noite para o dia, um simples segurança de metrô se torna um ídolo de uma multidão de desesperados. É preocupante quando, mesmo com tantos afazeres e possibilidades a vida das pessoas se percebe tão vazia.

No entanto, algumas pessoas podem argumentar que o vazamento de uma foto íntima pode expor uma pessoa a uma série de humilhações e que o cidadão fotografado no aeroporto sofreu menos do que, por exemplo, mulheres que foram e são frequentemente expostas. Bem, creio que só quem pode dizer o que sofreu foram as pessoas lesadas. Li opiniões que diziam que o segurança do metrô foi exposto, mas que somente havia recebido elogios e que como, por acaso, já era modelo, isso iria talvez alavancar sua carreira. Cheguei a ser acusado de fazer uma falsa comparação entre mulheres que foram expostas e difamadas e o modelo homem que ganhara notoriedade.


Outras opiniões sentenciaram que nem toda exposição é igual pois algumas atuam de maneira positiva e outras completamente negativas. E o que é positivo e negativo talvez não dependa também do ponto de vista? Então, sob esse ponto de vista de vantagem capitalista,  se uma menina tiver uma foto ou vídeo íntimo exposto na internet, for humilhada, xingada, tiver que mudar de cidade, mas depois receber convites para ser dançarina de funk, modelo e ganhar um programa de televisão e porventura começar a ser elogiada e ficar rica... então fica tudo bem não é? NO final das contas a exposição lhe rendeu bons frutos. Começou negativa, mas terminou de maneira ''positiva''.


Então, quer dizer que eu posso tirar foto de alguém que seja modelo, na praia por exemplo e sair divulgando pelo face. Se a maioria das pessoas curtirem e elogiarem,... tudo bem? Se as pessoas tivessem elogiado a beleza do cara fotografado no aeroporto de bermudas e ele tivesse virado modelo, então a atitude da professora da PUC não seria condenável? Talvez isso faça sentido pelo pensamento de certas pessoas. Bem, tiram-se as fotos e ficam essas questões para análise. 


E para finalizar, é impressionante como no Brasil todo mundo é modelo e ator/atriz! 








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...