JollyRoger 80´s para as Massas

JollyRoger 80´s para as Massas

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Mais do que nos preocuparmos com Osamas...

Roger_ O mais importante após essa série de acontecimentos da luta entre o Ocidente (representado pela imposição goela abaixo da democracia dos Estados Unidos) e Oriente (Fundamentalismo radical islâmico) é acabarmos com essa dicotomia de certo e errado. Bem e mal. Não existem Mocinho e Bandido nessa História. São jogos de interesses entre seres poderosos, muito poderosos e que farão qualquer coisa para manter esse poder.



Fred_ O interesse nacional, essa expressão difusa, não importa o Estado, sempre reza por esses termos. Não é uma peculiaridade deste ou daquele. O Brasil está indo pelo mesmo caminho. Nestes casos, o certo e o errado é apenas uma questão de conveniência.

Roger_ Existem vários possíveis caminhos. O que for errado o Brasil segue.

Fred_ O que é uma pena... O mundo, a relação entre os Estados, poderia ser melhor se não houvesse tanto receio do outro. Por outro lado, vendo as coisas como são, me pergunto se isso também não seria uma ilusão utópica...

Roger_ Quando penso em receio do outro entendo que não é medo de um "ataque" vindo do outro, mas sim das outras possibilidades de caminhos, ideias e estilos de vida que o Outro representa. E o Outro nem precisa estar em um diferente Estado. O Outro está no bairro vizinho, está sentado do nosso lado no banco do ônibus (para os infelizes que pegam ônibus *)

Fred_ Sim. também ! O outro, o novo, assusta. Capitalismo, Socialismo, Comunismo... Acredito que haja outro caminho além dos citados. Talvez um caminho que leve à relações mais harmônicas entre pessoas, governos, Estados.

Roger_ Se tem uma coisa em que eu não acredito mais Fred, são em utopias. E nem é por ver muito "Blade Runner" ou ler "George Orwell" não! rs É por constatar no dia a dia as escolhas e caminhos seguidos pela(s) sociedade(s). O pensamento atual é o de encarar o progresso apenas pelo viés tecnológico e científico.

Acho que esse novo caminho harmônico possa até ser possível, mas não antes da emergência de uma era distópica. Parece que, infelizmente precisamos de uma nova era de caos, destruição e desordem para tentarmos nos "alinhar" novamente.



Fred_ Empatamos. Também não acredito que isso seja possível. Não digo de todas, mas as utopias políticas que estão no nosso cardápio de opções mais monótonas realmente não me despertam o mais sóbrio ânimo. A cegueira ideológica nubla toda possibilidade de pensar além dos modelos conhecidos. O progresso tecnológico caminha em ritmo diferente do progresso moral. Há tanto conhecimento e as pessoas continuam padecendo das mesmas mesquinharias e vaidades das do séc XIX.

Roger_ Realmente é perturbador sentir-se sem opções à vista. Tudo no cardápio está escrito em língua estrangeira, passou da validade e tem gosto ruim. A cozinha do restaurante é suja, não tem sobremesa e pagou propina para escapar da fiscalização sanitária.

Fred_ Mas, infelizmente, o restaurante tem uma clientela acomodada, ampla e fiel.

Roger_ Não querendo cair em discuros moralistas, mas mudança, "evolução" e engrandecimento pessoal para as pessoas significa fazer dieta, colocar botox, virar celebridade e ganhar dinheiro. Essas são as prioridades.

Fred_ As guerras são, pelo receituário seguido, inevitáveis. Realmente elas produzem um impacto psicológico e social enorme. Uma pena que em curto espaço de tempo se volte a incorrer nos mesmo descaminhos que as produziram.

Roger_ No caso América LatRina, especificamente Brasil, o comodismo é doentio. É cultural. O atraso é cultural. As grandes capitais estão lotadas de marginais e trabalhadores informais. Todos ganhamos mal e O povo só entra em guerra após o término de partidas de futebol.



Fred_ Nelson Rodrigues: " O brasileiro (e isso, grosso modo, vale para a AL) é que nem cachorro de batalhão; o batalhão passa e o cachorro vai atrás." Quando uma ideologia se aposenta, ela vem para cá.

Roger_ E por tudo isso e por todo o resto é que não acredito em mudanças de paradigma para um futuro próximo. As pessoas estão anestesiadas, são adestradas, os artistas são uma piada e os governantes uma desgraça.

Fred_ Também não acredito, Roger... E durma-se com um barulho desses, caro Amigo !

Roger_ Então, é exatamente isso! Nos acostumamos com o barulho. E dormimos. Pessimamente, mas dormimos!

*Rogério Marques e Fred Oliveira são historiadores.

Um comentário:

  1. "Ensaio sobre a Cegueira" de José Saramago. Correto? O filme é fantástico. Me senti chocado e angustiado como há tempos não ficava.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...